Últimas Notícias
SERRA-ES
28 fevereiro 2021

Onze bebês no ES estão com suspeita de microcefalia causada por zika vírus

zika-4063559

A Secretaria de Saúde do Espírito Santo (Sesa) recebeu a notificação de que 11 bebês estão com suspeita de microcefalia causada por zika vírus no Estado. Destes, três já nasceram. As outras oito crianças ainda estão em gestação, mas as mães já tiveram a confirmação através de exames.
Os dados são preocupantes, uma vez que historicamente são registrados no Espírito Santo de 3 a 4 casos de microcefalia por ano. Além disso, há registro de 10 grávidas que possuem alguns sintomas do vírus, como as manchas vermelhas, características da infecção.
Até esta terça, a Sesa registrou 185 casos de pessoas suspeitas de infecção pelo zika vírus. Cinco deles foram confirmados, sendo quatro em Vitória e um em Vila Velha.
A Sesa está fazendo mobilizações para combater o mosquito vetor, como mutirão de capacitação de médicos e enfermeiros, parceria com entidades governamentais.
O Secretário de Saúde, Ricardo Oliveira fala em guerra ao mosquito e pede para que a sociedade se mobilize. Em 2014, o levantamento da Sesa apontou que 64% dos criadouros do mosquito estavam nas casas. Neste ano, um novo levantamento apontou que houve um aumento nos registros de criadouros, passando para 72% dos domicílios.
O zika vírus é uma infecção causada pelo vírus ZIKV, transmitida pelo mosquitoAedes aegypti, mesmo transmissor da dengue da febre chikungunya.
Com informações de Fiorella Gomes
Dentre os sintomas que a infecção podem causar estão:
-Febre baixa (entre 37,8 e 38,5 graus)
-Dor nas articulações (artralgia), mais frequentemente nas articulações das mãos e pés, com possível inchaço
-Dor muscular (mialgia)
-Dor de cabeça e atrás dos olhos
-Erupções cutâneas (exantemas), acompanhadas de coceira. Podem afetar o rosto, o tronco e alcançar membros periféricos, como mãos e pés.
Médicos investigam se sangue, leite e sêmen podem ser meios de transmissão do zika
A comprovação de que o zika aumenta os riscos de microcefalia em fetos e de Síndrome de Guillain-Barré em quem contrai o vírus acendeu o alerta para outras três possíveis formas de transmissão da doença, além da picada do Aedes aegypti: pelo sêmen, por transfusão de sangue e por leite materno.
Pesquisadores já encontraram evidências de que o vírus pode ser encontrado nesses três fluidos corporais. Mas, como os estudos relacionados ao zika são escassos — existem no mundo cerca de 200 publicações científicas, contra mais de 2.500 sobre chicungunha e mais de 14.500 sobre dengue, por exemplo —, não há ainda como ter certeza se a transmissão da doença pode ser feita por essas três vias.
Fonte: Gazeta Online

 

PREVISÃO DO TEMPO

CUPOM DESCONTO