Aberta a temporada de venda de palmito na Serra

Foi dada a largada para a temporada de palmito e o produto já está à venda nos pontos mais tradicionais da Serra. Os comerciantes começaram a se instalar e, durante esta semana, a expectativa é de que o espaço destinado pela Prefeitura da Serra, em Laranjeiras, receba mais vendedores.

Uma comerciante conhecida como Baiana, que atua todos os anos no terreno ao lado do Terminal de Laranjeiras, chegou na quinta-feira e disse que vai ficar no local “24 horas por dia”. Ela está comercializando o produto de acordo com o tamanho da peça, com preços a partir de R$ 20.

“Tem de todo preço. De R$ 20 a R$ 50”, disse a vendedora, que está animada com a comercialização do produto neste ano. Segundo Baiana, os preços não tiveram grande alteração em relação ao ano passado mas a movimentação deverá ser maior.

A prefeitura da Serra definiu os locais para a venda de palmito para a Semana Santa neste ano. Foram reservados sete locais, sendo que os produtos poderão ser comercializados já a partir desta quinta-feira (8), de acordo com o setor de Posturas da Secretaria de Desenvolvimento Urbano (Sedur).

A expectativa é de que seis comerciantes façam os cadastros, mas alguns trazem equipes que se distribuem pelos pontos de venda.

Anualmente, a Serra disponibiliza três pontos de apoio para o comércio do palmito no período que antecede a Semana Santa e acompanha outros quatro pontos, que são particulares. A maioria dos vendedores se concentra perto do terminal de Laranjeiras, ao lado de uma rede de supermercados.

Os comerciantes também poderão oferecer o produto perto da entrada de Jardim Limoeiro (onde o comerciante oferece os produtos em um caminhão) e na área da feira livre em Serra-Sede. Todos os anos os comerciantes se concentram também na entrada de Nova Almeida e na peixaria de Jacaraípe.

Além destes locais, está liberada a venda de palmito em áreas particulares, mas, nesses casos, o comerciante tem que negociar com o proprietário: perto do posto de gasolina, em José de Anchieta, e na avenida Nossa Senhora dos Navegantes.

De acordo com relatos dos técnicos do setor de Posturas, o comerciante que geralmente se estabelece na entrada de Jardim Limoeiro, por exemplo, aumentou sua oferta em 66%: no ano passado, ele trouxe 1.200 palmitos e ainda faltou produto. Este ano, ele vai trazer 2 mil itens para colocar à venda.

De acordo com a secretária de Desenvolvimento Urbano da Serra, Mirian Soprani, a maioria dos comerciantes de palmito que se cadastra no município é da Bahia, mas também há produtores do Estado. Os cadastrados têm de pagar uma taxa de R$ 85 e são responsáveis por depositar as cascas em local adequado para coleta após a venda.

Como o serviço é feito pelos mesmos comerciantes todos os anos, e é organizado com antecedência pela prefeitura, não há ocorrências de venda ilegal do produto.

Os comerciantes são orientados a manter o local limpo, mas a prefeitura faz a limpeza da região após o período de vendas. Para a concessão de uso do espaço urbano, é necessária também a nota fiscal do produto a ser comercializado.

 

Serviço

Locais de venda

– Perto da entrada de Jardim Limoeiro (ponto de referência: Andaimes Vitória)

– Ao lado do terminal de Laranjeiras, próximo ao Epa.

– Na área da feira livre, em Serra-Sede.

– Na peixaria de Jacaraípe (particular)

– Perto do posto de gasolina em José de Anchieta (local particular)

– Na avenida Nossa Senhora dos Navegantes, na área do Dalmerry (área particular)

– Na entrada de Nova Almeida (particular)

 

Preços

Os preços são liberados. De acordo com comerciantes, há produtos a partir de R$ 20 e o preço aumenta conforme o tamanho.

 

Horário

Os comerciantes definem os horários. Segundo relatos dos vendedores, eles ficarão nos locais durante todo o dia e à noite.

 

Fiscalização

É exigida nota fiscal dos produtos. A fiscalização é feita pelos órgãos ambientais e pela Vigilância Sanitária.

 

Limpeza

Os comerciantes são responsáveis pelo depósito do material em local adequado.

PREVISÃO DO TEMPO

CUPOM DESCONTO